As oito melhores tecnologias de 2012

Ano não foi de novidades que modificaram a relação do consumidor com a tecnologia, mas aparelhos já conhecidos evoluíram muito

Não obtivemos um novo dispositivo arrasa-categoria – a Apple TV continua sendo um sonho distante e o Surface, da Microsoft, foi um fiasco. Por sua vez, muitas startups pareciam estar oferecendo novas versões de ideias que o meio tecnológico já vinha trabalhando há algum tempo. (De quantos serviços para compartilhamento de carros o mundo precisa?) Este foi um ano de melhorias: tudo o que era bom ficou melhor.

Este é o tema que vocês notarão abaixo em minha lista das melhorias tecnologias de 2012. Quatro das companhias que elogio – Apple, Google, Amazon e Square – apresentaram melhorias radicais em seus produtos básicos. Vamos à lista.

iPhone 5 (com Google Maps). Permitam-me citar minha própria resenha (título: “O iPhone 5 é um milagre”): é o melhor telefone que já deu o ar de sua graça na Terra. Ele vence cada rival isolado por qualquer parâmetro que se possa pensar, incluindo velocidade, duração de bateria, e, em especial, beleza e funcionalidade. Vou mais longe: quando peguei o iPhone 5 e o examinei de perto, achei difícil de acreditar que o aparelho realmente existia.

De certo modo, ele nem parece que foi construído. É uma engenhoca que parece que já entrou na caixa completamente pronta. Se você passar a mão em torno de sua frente mal sentirá alguma emenda ou outros pontos de conexão; há poucas evidências de que esta coisa é um aparelho altamente complexo composto por muitas coisas menores. Ele dá a sensação de uma peça de maquinário simples, sólida, e bem elaborada. Alguns meses depois, continuo me sentindo da mesma maneira.

Como outros avaliadores, não fiquei feliz com o aplicativo de mapas da Apple. Mas argumentei que este não era um grande problema, porque em breve o Google iria lançar um aplicativo de mapas para iOS melhorando ainda mais o iPhone 5. Isto ocorreu na semana passada.

iPad e iPad Mini. Em março, pouco depois de a Apple ter anunciado o que muitos chamaram de um leve upgrade de seu tablet – acrescentando uma tela de alta definição e uma conexão de rede de celular mais rápida – eu chamei o iPad de “imbatível”. Argumentei que, da mesma maneira como havia dominado o mercado de tocadores de música com o iPod, a Apple estava melhorando seu produto, baixando seus preços e ampliando seus alinhamentos com velocidade suficiente para manter suas rivais comendo poeira.

Aí, no outono americano, a Apple fortaleceu meu argumento. Ela não só lançou um iPad fantástico, menor e mais barato – o Mini – para capturar a ponta inferior do mercado, como também lançou um novo iPad de tamanho regular. Num ano de competição intensa em tablets, com dispositivos melhores de Google, Samsung, Amazon e Microsoft, o iPad continua sendo o melhor, especialmente se você considerar a AppStore. Se a Apple continuar fazendo o que está fazendo, é difícil perceber como alguém conseguirá se equiparar ao iPad.

Google Now. No verão, o Google lançou o Now, um recurso Android que nos alerta automaticamente para informações importantes sobre onde estamos e o que supostamente devemos fazer. É como um assistente pessoal telepático: se você vai viajar, ele o informa sobre as condições do trânsito, produz o seu cartão de embarque, mostra a situação do tempo em seu destino, informa como chegar ao seu compromisso e mostra o melhor restaurante perto de seu hotel.

Tudo isso pode soar pouco empolgante – você já verifica essas informações em seu telefone usando calendário, e-mail e internet. Mas o Now tem tudo isto em um único lugar, e geralmente mostra tudo sem o seu pedido explícito. Monitorando seu e-mail, localização e hábitos de busca, o Now prevê quais informações você precisará em seguida e trata de fornecê-las.

Google Voice Search. O Voice Search, que já está disponível faz tempo em Android e foi acrescentado ao aplicativo iOS do Google neste ano, é fabuloso. Diferentemente do imprestável assistente de voz Siri, da Apple, o do Google é bom o suficiente para me fazer mudar meus hábitos – agora eu às vezes falo em vez de digitar minhas perguntas. E ele continua melhorando.

Admito a incongruência de elogiar dois recursos Android – três se contarmos o Google Maps -, enquanto aclamo o iPad e o iPhone. Mas assim é a vida. A Apple faz os melhores aparelhos móveis e o Google tem melhores serviços.

Workflowy. Descobri este aplicativo grátis de organização neste verão, e desde então ele se tornou minha principal ferramenta para organizar tudo que faço. Eu o uso para tomar maioria de minhas anotações, manter minhas listas e para tudo de que eu precise me lembrar.

Card.io e da Jumio. Estas empresas oferecem um recurso brilhante para resolver o maior obstáculo para contratar um serviço comercial usando um smartphone – introduzir as informações de seu cartão de crédito. Agora, tudo que você precisa fazer é mirar a câmera do seu telefone para seu cartão, e ela rapidamente escaneia as informações do cartão de crédito.

Como estas companhias licenciam seu sistema para desenvolvedores, você encontrará o recurso em muitos aplicativos móveis excelentes. A Apple também acrescentou recentemente uma maneira de saldar cartões de presente iTunes com a câmera do seu Mac.

Square. Em setembro, eu chamei a startup de pagamentos de Jack Dorsey de a próxima grande companhia do Vale do Silício. A empresa me ganhou ao fornecer a melhor experiência de pagamento tanto para consumidores como para empresas. O Square permite que você pague apenas dizendo seu nome – desde que tenha consigo seu telefone, você não precisará ter o trabalho de passar um cartão ou agitá-lo na frente de um dispositivo de leitura.

Ele permite que empresas aceitem cartões de crédito por taxas da ordem de 1,3% por transação. O sistema foi adotado pela Starbucks.

Entrega no mesmo dia. Agradeçam à Amazon. Neste ano, Jeff Bezos derrubou sua antiga oposição a cobrar frete dos clientes. Ele agora está construindo centros de expedição por todo o país num esforço para acelerar a expedição de produtos.

Embora a companhia tenha sido reservada sobre seus planos, a Amazon parece estar querendo tornar a expedição no dia seguinte básica e a expedição no mesmo dia como um serviço extra. Hoje, ela oferece o serviço de entrega no mesmo dia em dez cidades, incluindo Nova York, Chicago, Boston, Washington e Seattle.

A iniciativa da Amazon obrigou a concorrência – incluindo o Walmart – a lançar o mesmo serviço. E também alimentou um boom em startups do mesmo dia.

AD MANJOO, SLATE/ TRADUÇÃO DE CELSO PACIORNIK – O Estado de S.Paulo, 22 de dezembro de 2012

Anúncios

  1. Deixe um comentário

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: