Surge, enfim, um concorrente para o Google

Desenvolvido por dois programadores do Facebook, o Quora incentiva as pessoas a responderem perguntas sobre temas que elas conhecem e já é uma das redes sociais mais admiradas do Vale do Silício

SÃO PAULO – Um site para trocar perguntas e respostas sobre os mais variados assuntos: esse é o Quora. Tem alguma dúvida? Publique uma pergunta. Tem conhecimento sobre um assunto que já foi perguntado? Contribua com sua resposta. E se você quiser, segue tópicos, perguntas ou atividades de outros usuários da mesma forma como no Twitter, no Facebook ou outras redes sociais.

O Quora não é o primeiro serviço que ajuda os usuários a tirar dúvidas sobre perguntas específicas. Outros como o Yahoo Respostas, o Formspring e até a Wikipédia têm modelos parecidos.

O que diferencia o Quora é que ele incentiva as pessoas especializadas a responderem as questões sobre os assuntos que conhecem. Se você fizer uma pergunta sobre o Android, por exemplo, quem pode responder são empregados do Google que trabalham no sistema operacional. Se tiver alguma curiosidade sobre um filme, quem pode ajudar é o próprio diretor. Não está entendendo uma ferramenta do Quora? O fundador em pessoa pode sanar sua dúvida.

“O que faz o Quora especial é que as pessoas ali mostram expertise real e substancial sobre os mais diversos tópicos”, disse ao Link Mark Bodnick, gerente de marketing de produto da empresa. O objetivo é a partilha de conhecimento, com foco em respostas especializadas em cada área; de tecnologia, empreendedorismo e estratégias de negócio – temas mais recorrentes – a questões sobre alienígenas, programas de TV, viagens a Paris ou comida vegetariana.

Os usuários votam nas melhores respostas, que aparecem primeiro na página. As perguntas são organizadas por assuntos.

Crescimento. A ideia do Quora surgiu de dois programadores que fizeram parte do Facebook: Adam D’Angelo – um dos fundadores da rede social e amigo de adolescência de Mark Zuckerberg –, de 28 anos, e Charlie Cheever, de 31 anos. Em 2008, quando a rede social já contava com quase 150 milhões de usuários e crescia exponencialmente, D’Angelo e Cheever decidiram deixar o site para desenvolver um projeto próprio em 2009: o Quora.

A página foi ao ar em julho de 2010 e a quantidade de usuários começou a crescer. Em janeiro de 2011, eram cerca de 500 mil. Seis meses depois – após uma mudança de layout para facilitar a navegação –, chegava a 1,5 milhão de visitantes únicos por mês. Segundo a consultoria Comscore, em dezembro do ano passado, foram quase 3,3 milhões de visitantes únicos.

A startup dos dois jovens programadores já recebeu US$ 61 milhões de investidores. Adam D’Angelo também colocou dinheiro do próprio bolso, algo estimado em US$ 20 milhões. A rede social de perguntas não possui anúncios e, segundo o gerente de marketing, pretende continuar dessa forma por enquanto.

Além do Silício. O que fez o Quora ser considerado uma das startups mais promissoras pelo jornal New York Times, junto de Airbnb e o Dropbox, foi o fato de ele cumprir o que se propõe a fazer: viabilizar as melhores e mais completas respostas possíveis sobre certo tema.

Isso, no entanto, só foi possível por causa da forte presença na “panelinha” do Vale do Silício, bastante ativa entre os usuários. Assim, a plataforma ficou cheia de executivos, CEOs, empreendedores, programadores e cientistas, que dão respostas de qualidade aos usuários.

O cenário, porém, tem mudado aos poucos. Apesar da predominância de assuntos relacionados a negócios e tecnologia, o Quora está mais variado, e hoje tem mais de 300 mil tópicos.

O gerente de marketing do Quora afirma que áreas como política, economia e entretenimento (comida, TV, filmes, esportes, etc.) têm atraído mais seguidores. “Temos mais diversidade do que há dois ou três anos”, diz. “Entre nossos novos usuários, apenas 10% são da Califórnia. E é o que queremos: expandir.”

ADAM D’ANGELO RESPONDE AO QUORA

O fundador do Quora não respondeu aos pedidos de entrevista do Link – a repórter até questionou, em forma de pergunta no site, o porquê. Usuários especularam que os motivos seriam as brigas internas ou falta de interesse. Seja como for, reunimos as perguntas que D’Angelo já havia respondido em seu próprio site:

Passado. Fundador do Quora é também um dos criadores do Facebook. FOTO: Divulgação

Como Adam D’Angelo aprendeu a programar?
Alguns amigos meus começaram a programar no ensino fundamental, em QBasic. Um deles aprendeu com uma criança mais velha e mostrou para nós. Durante o intervalo, ficávamos na sala do professor de matemática fazendo games e jogando em vez de descer para lanchonete como todo o resto. (Em 15/4/2010, perguntado por ele mesmo).

Qual foi sua maior contribuição para o Facebook?
É difícil dizer qual teve mais impacto, mas uma delas foi criar a “equipe de crescimento” em 2006 – grupo de engenheiros que transformou o produto para torná-lo mais viral e atrair mais usuários. Se eu não tivesse priorizado essa equipe, acredito isso resultaria em uma base atual de usuários menor, além dos efeitos colaterais disso – menos receita, mais dificuldade em atrair funcionários e arrecadar fundos, etc. (Em 30/4/2010, também perguntado por ele mesmo).

No Quora, o que veio primeiro: a ideia ou a tecnologia?
A ideia veio antes. Concordamos em fazer um sistema de perguntas e respostas antes de construir a tecnologia – LiveNode. Normalmente, construir um sistema sem uma aplicação não funciona. Ter uma aplicação lhe mantém focado. (15/4/2012, pergunta anônima).

Você se sente confortável com a transição de engenheiro para administrador?
Não tenho tanta experiência em programação como as pessoas pensam. Estudei ciência da computação e programei bastante quando era mais novo, mas só fiquei na engenharia no Facebook por seis meses. No Quora, programei por menos de um ano. As pessoas tendem a exagerar as diferenças entre gestão e engenharia, mas a realidade é que há muitas coisas em comum. Ainda me preocupo com dilemas entre simplicidade versus funcionalidade, e qualidade do código versus eficiência. Eles só tomam proporções maiores. (25/11/2012, pergunta anônima).

O que o Quora fará com os US$ 50 milhões que recebeu de financiamento?
Faremos o melhor para torná-lo um dos mais importantes produtos da internet. Para isso, precisamos montar a melhor equipe possível, melhorar tecnicamente e focar a longo prazo – pretendemos utilizar parte do investimento como uma ‘almofada’ em caso de mudanças macroeconômicas. (14/5/2012, em resposta a pergunta anônima).

Qual é o status do Charlie Cheever (cofundador do Quora) na empresa?
Decidimos que seria melhor para o Charlie sair de suas atividades diárias na empresa. Ele sempre será considerado um fundador do Quora e continuará como conselheiro. Tenho muito respeito pelo Charlie. Não estaríamos onde estamos hoje sem ele. Muitas de suas contribuições continuarão como parte central da história e cultura da empresa. (11/9/2012, em resposta a pergunta anônima).

Rede participativa

Quem está no Quora elogia a possibilidade de encontrar respostas de especialistas, mas site ainda está apenas em inglês

SÃO PAULO – É difícil encontrar uma resposta curta no Quora. A maior parte delas é longa, organizada e com referências e exemplos, seja qual for o tema. Por isso, tanto ler quanto escrever no Quora leva um certo tempo, mas isso não incomoda os usuários.

“Passo mais tempo no Quora do que em qualquer outra plataforma de mídia social”, diz Simon Olson, diretor de negócios do Google Brasil e usuário ativo no site. Olson diz que checa o Quora ao menos cinco vezes por dia e conheceu site antes de ele ser aberto ao público, através de um investidor. “Mandei um e-mail pedindo convite e me deixaram entrar”, conta.

O executivo já usava o site para falar sobre startups no Brasil, e agora, com a nova ferramenta, abriu um blog que leva o nome do País. Olson exalta o fato de o Quora ser um repositório de boas histórias e de mostrar respostas inteligentes para perguntas aparentemente malucas. Para ele, o perfil variado de usuários é o que torna o site interessante: “Não é preciso ser um bilionário da internet ou um professor de física. Todo mundo tem conhecimento útil para compartilhar”, diz.

SAP. O Quora afirma no próprio site que o conteúdo compartilhado deve estar preferencialmente em inglês. No entanto, Mark Bodnik, diretor de marketing de produto da empresa, diz que isso tende a mudar. “Grande parte do conhecimento do mundo não está em inglês, então creio que você nos verá expandir as linguagens no futuro.”

Apesar de haver poucas perguntas em português no Quora, o Brasil é um tema recorrente na rede social, principalmente nas discussões sobre startups e novos negócios.

O carioca Roberto de Brito Nunes, usuário ativo da plataforma, conta que, por trabalhar na área, muitas vezes é procurado por investidores e empresários estrangeiros. “ Já respondi sobre a diferença de cultura no mundo dos negócios, impostos e coisas assim. Há muito medo da nossa burocracia”, conta. “Mas há muita curiosidade sobre o País.”


OPINIÕES DE QUALIDADE

Para Wales, a comunidade filtra as melhores respostas

Login | Jimmy Wales, criador da Wikipédia e usuário do Quora

O fundador da Wikipédia, Jimmy Wales, adotou o Quora com tanto ânimo que uma pessoa chegou até a publicar a pergunta “Por que Jimmy Wales responde perguntas no Quora o tempo todo?”. Ele falou ao Link sobre o site.

O americano Jimmy Wales criou a Wikipedia em 2001. FOTO: Luke MacGregor/REUTERS

Quando e como você começou a usar o Quora?
Conheci os fundadores antes de lançarem o site e os achei inteligentes e com muitas boas ideias a respeito do futuro dos serviços de perguntas e respostas na internet. Hoje sou investidor e conselheiro da empresa.

O que faz o Quora diferente de outros sites similares?
O site é absurdamente melhor para abrigar respostas de qualidade. Respostas ruins recebem votos negativos e ficam escondidas. A comunidade tem controle suficiente para garantir que os melhores fiquem em evidência.

Quais são os tópicos que mais lhe interessam no Quora?
Gosto de ler e responder sobre o meu trabalho, mas também sobre barcos – este último pode parecer aleatório, mas eu realmente gosto!

É possível fazer com que o site cresça, se diversifique e mantenha sua qualidade?
Sim. Acredito que o Quora vai crescer de forma significativa. Acredito que, para eles, é muito mais importante manter uma comunidade qualificada do que buscar o crescimento mais rápido possível.

Em que sentido a Wikipédia é diferente do Quora?
São completamente diferentes. A Wikipédia é uma enciclopédia baseada em fatos. Já o Quora é um site de perguntas e respostas em que opinião pessoal embasada e informativa também é bem-vinda. Não acredito que eles competem; pelo contrário: se complementam. / A.C.P.

(Clique na imagem para ampliá-la)

Anúncios

, , , ,

  1. Deixe um comentário

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: